Alergias e Intolerâncias

Algumas vezes nos damos conta que desconfortos como gases, câimbras, sono interrompido ou inquieto, rinite e/ou sinusite, tonteiras, falta de ar, vômitos ou mesmo anemias crônicas, queda de cabelo, irritabilidade, oscilação entre intestino preso e/ou solto, dentre outros, estão mais presentes no nosso dia a dia do que gostaríamos. De um modo geral não ficamos muito atentos, mas todos estes sintomas podem nos incomodar com mais intensidade em função de alguma alergia alimentar um pouco mais forte (normalmente passa desapercebida na idade adulta).

Muitas vezes fica muito difícil reconhecer quais alimentos e/ou conservantes poderiam estar contribuindo para o aumento destas reações (muitas vezes o que se pensa é que as alergias alimentares apenas causam placas vermelhas pelo corpo ou, na pior das hipóteses, falta de ar extrema, fechamento de glote) muitas vezes o que acontece é que ingerimos estes alimentos, produzimos anticorpos (podem ficar circulando na corrente sanguinea por semanas), de modo que a parede do intestino inflama.

Neste processo o corpo fica mais propenso a inflamar mais, a absorção de alguns nutrientes piora, no caso do ferro, ferritina e vitamina B12 (dentre outros nutrientes que podem ter sua absorção prejudicada) isso pode levar a uma maior propensão a anemias. Com menor capacidade de levar oxigênio para os tecidos o corpo fica enfraquecido, acaba por mudar sua fonte de energia e até objetivos como a perda de peso fica mais difícil de acontecer.

Muitas vezes o processo de alergia alimentar pode causar também um processo de intolerância alimentar. Um exemplo é a enzima lactase, que é produzida na parede do intestino, quando este inflama, é muito comum que alimentos que contém maiores níveis de lactose sejam mais difíceis de serem digeridos como feijão, lentilhas, leite e derivados. Por esta razão alergias muito fortes ou que ocorrem de forma repetitiva podem causar um quadro secundário de intolerância alimentar.

Além de alguns exames (que podem auxiliar no diagnóstico) de vários processos de alergia alimentar, nada substitui o direcionamento de um médico e nutricionista. Esta questão, além de englobar a qualidade de vida como um todo, ainda possui a qualidade de atuar como prevenção pois hoje em dia já se sabe que várias doenças crônicas tem seu inicio precoce em decorrência de processos inflamatórios.