Dieta antioxidante para o verão

“O principal benefício da alimentação é causar bem estar.
Por isso preste bem atenção e se conecte ao ato de comer”

Você conhece os antioxidantes? Eles são capazes de preservar a nossa juventude, o nosso bem estar e também fortalecer o nosso sistema de defesa, prevenindo as doenças e evitando o envelhecimento. São aliados imprescindíveis da nossa saúde e, jamais devem faltar na alimentação.

A praia, a piscina, o sol, as longas caminhadas á beira-mar, curtindo aquele “calorzinho” relaxante, são uma constante em nossas vidas nessa época do ano. Verão e férias combinam com tudo isso, mas o estresse oxidativo que essas situações corriqueiras do verão causam no corpo, em especial em na pele, aumentam a presença de radicais livres, promovendo uma maior destruição celular  e a diminuição das defesas do corpo, promovendo uma maior propensão à doenças e ao envelhecimento precoce.

A pele, por si só, já é um mecanismo de defesa, pois na sua segunda camada, chamada derme existem substâncias chamadas poliaminas, que são os nossos “filtros naturais”, porém á exposição excessiva ao sol, pode acabar destruindo as poliaminas. Além disso, a mesma exposição ao sol causam maiores danos ao colágeno, principal estrutura responsável pela nossa textura tecidual, causando um processo de inflamação, que se nâo controlado á tempo, pode se causar danos  irreversíveis ao nosso corpo.

A presença de manchas na pele significa grandes quantidades de radicais livres. Evite, portanto, o sol do meio dia e consuma alimentos ricos em substâncias antioxidantes como brotos, frutas vermelhas, cebola, maçã, cacau, optando também por alimentos ricos em enxofre e glicosinolatos, que ajudam na sustentação de pele e são “varredores de radicais livres” como o repolho, couve, alho, brócolis, rúcula, rabanete – a ingestão recomendada destes é de meia xícara por dia. Associar determinadas vitaminas protetoras de nossa pele também seria interessante, tipo: vitamina C (frutas cítricas), vitamina E (castanha do Pará, germe de trigo, milho e soja), vitamina A (abóbora, cenoura, damasco, melão).   

A alimentação também pode nos ajudar a ter cabelos e unhas mais fortes. Recomenda-se a ingesta de carne 3 x por semana, aos que não ingerem carne, fazer a troca por ovos. O fato de serem ricos nos minerais zinco e selênio são determinantes importantes para esse cuidado. Além disso, as proteínas presentes nesses alimentos melhoram a imunidade e auxiliam na defesa contra os fungos, comuns no calor.

Em altas temperaturas, não somente perdemos água, mais também minerais, que podem  nos levar á quadros de desidratação. E quanto mais sobrepeso, mais retemos e sofremos com o calor ! A principal dica alimentar é que devemos comer todos os dias saladas com, pelo menos, três cores predominantes e cinco tipos de vegetais. Verdes folhosos, vermelhos ou amarelos, como tomate e pimentão, e outros de cores claras, couve flor, ervilha, milho, abobrinha e berinjela, são algumas opções interessantes.

A perda de eletrólitos  leva á desidratação. O corpo necessita de aproximadamente 2 litros/ dia de água (é claro que esse valor não pode ser considerado fixo para qualquer superfícies corpórea), porém em regra geral, vale essa meta; e com a presença de suor excessivo, desequilíbrios alimentares, essa necessidade pode aumentar. O correto seria na exposição continuada ao sol, ingerir-se de algum líquido á cada 20 a 30 minutos. 

Recomenda-se sucos com toda a polpa da fruta e legumes e verduras, chás digestivos tipo alecrim, macela, hortelã, sálvia e erva doce e desintoxicantes do tipo cavalinha, chá verde ou branco, dente-de-leão. Tomar água de coco também é bastante saudável e gostoso no verão, afinal quem não se sente bem tomando uma depois de “suar em bicas”?

Alguns indivíduos chegam ao verão totalmente intoxicados por um estilo de vida e um padrão alimentar totalmente errôneo, com a sua digestão deficiente, com  a flora intestinal alterada, com uma ingesta de gorduras excessiva, falta de fibras e de vegetais. Aos poucos, devemos reverter esse quadro através de uma reeducação alimentar; e o verão é uma boa época para isso, pois o calor promove uma sensação de saciedade maior no nosso organismo. Não espere por mudanças radicais, faça metas possíveis de cumprir, procure um profissional habilitado que lhe auxilie, introduzindo alimentos saudáveis no seu dia-a-dia, para acompanhá-lo, não somente no verão, mais também no ano inteiro. E, com paciência, espere e colha os frutos de uma boa saúde, uma mente e um corpo são.